Uma frase sincera: Se as coisas não estão bem, a responsabilidade é sua

Forte, grosso, um pouco rude é verdade…, mas se não for provocativo, como é que você vai acordar para isso?

Todos nós, em maior ou menor grau, acabamos por transferir a responsabilidade de algo para terceiros, sejam eles outras pessoas, coisas, fatos… Que atire a primeira pedra quem nunca disse: “Eu não consigo fazer exercícios porque não tenho tempo” ou “Eu cheguei atrasado porque moro longe demais” ou ainda “Eu não tenho dinheiro porque ganho pouco”. Estas são só algumas frases que naturalmente dizemos quando justificamos para os outros e para nós mesmos a situação em que estamos.

Desculpe, mas a verdade é que a responsabilidade sobre como você está hoje, sobre como você vive hoje e sobre o que tem, construiu ou não é toda sua… Não tem como ser diferente, a não ser que você tenha sido alvo do que chamamos nos contratos de “Força Maior”, já volto neste ponto. Primeiro vou reforçar a seguinte constatação:  não dá para plantar milho e esperar que a colheita não seja de… milho. Se plantarmos maçãs, vamos colher maçãs… Então, o que você está vivendo hoje, seja na vida pessoal, profissional, familiar, qualquer âmbito, é o fruto da sua plantação, do que você fez ou deixou de fazer no passado, das suas escolhas, renúncias, opções.

Fácil assumir? Não, não é, até porque a autorresponsabilidade é uma habilidade, uma forma de encarar as coisas e tomar as rédeas da situação. Como um hábito, precisa ser treinado até ser definitivamente incorporado. Eu gosto, uso e ensino meus coachees o princípio do 1/3 (um terço), que é basicamente o seguinte:

– 1/3 é responsabilidade do AMBIENTE:  das coisas externas, sejam o governo, o clima, o universo, a tal da “Força Maior”, que neste caso extremo são guerras, catástrofes e outras situações completamente fora do nosso controle;

– 1/3 é responsabilidade dos OUTROS:  os amigos, a família, os concorrentes, os funcionários, as outras pessoas…

– E finalmente 1/3 é responsabilidade SUA, você mesmo!

E como isto se aplica. Simples. Se considerar que para os primeiros 2/3 (Ambiente e Outros) você tem nenhum ou pouquíssimo controle e influência, o que sobra e sobre o qual você tem total e absoluto controle? Isso mesmo, o seu 1/3. Isto vale para o que é bom e o que é ruim.

Então, ao invés de dizer: “Eu cheguei atrasado porque moro longe demais”, se autorresponsabilize: “Eu cheguei atrasado porque sei que moro longe e EU não me programei corretamente para chegar antecipadamente”; e da mesma forma “Eu não consigo fazer exercícios porque isto não é uma prioridade para MIM e EU consumo todo o meu tempo trabalhando, é a MINHA opção”. Como eu disse, vale também para o positivo: “Eu conquistei esta posição porque EU me dediquei e mereci”.

Importante!! Autorresponsabilidade não é CULPA, ou seja, não é algo negativo, que pese sobre você e pelo qual os outros deveriam sentir PENA. Autorresponsabilidade é assumir a direção da sua vida, apesar das ocorrências externas (ambiente e outros), porém fazendo 100% do seu 1/3. E sabe porque é tão difícil de assumir a responsabilidade por ter a vida que tem? Porque para ter autorresponsabilidade você precisa assumir o controle das coisas e isto é difícil, responsável, por vezes custoso e até penoso. Então é mais fácil jogar a culpa no “outro” e continuar numa confortável zona morna. Assumir sua mazela ou sucesso, não é uma coisa tão natural… é quente ou frio, extremo, nada morno…

Se constatar que é algo ruim, aprenda a olhar como pode melhorar seu hoje para ter o amanhã que deseja, entenda que dá para mudar, aceite que se fizer diferente terá um resultado diferente e não perca seu tempo remoendo passado ou sentindo pena de si.

Sabe o que é mais legal? Se autorresponsabilizar é libertador. Sim, é “empoderador” (usado uma palavra da moda), já que definitivamente cai a ficha de que seu futuro é feito hoje, agora.

Então se é para plantar o futuro, faça seu 100% do 1/3 que lhe cabe semeando tudo o que deseja colher lá na frente. Seja quente, positivo, sem desculpas! Se quer emagrecer, pare de se sabotar comendo besteiras e evitando exercícios, culpando a falta de tempo e excesso de trabalho. Se quer mudar de emprego, não reclame do chefe ou da empresa e se mova na direção que deseja. Se autorresponsabilize pela vida que tem e que deseja ter e viva plenamente!

Abs e não deixe de curtir com a família!

Sobre a autora:

Glaucia Miyazaki – parceira RH|PM

Sou empreendedora, executiva e Coach com mais de 20 anos de experiência profissional no chamado “Mundo Corporativo”, atuando em cargos de liderança e diretoria das áreas de Marketing, Vendas e TI de diversas empresas mercado. Publicitária formada pela ESPM/SP, Pós-graduada em Administração e com MBA em Gestão Empresarial pela FGV/SP. Vivenciei de tudo: de pequenas familiares a gigantes varejistas, de Entretenimento a Telecom, de Start-ups a falimentares, de serviços e de produtos, de organizadas as sem muitas regras…. Tenho uma abordagem mais holística sobre a gestão e seu papel e sou conhecida pela forma franca e direta de me expressar. “Quando me pedem um feedback, já vou logo perguntando: Com ou sem açúcar? ”.

Adoro tecnologias, inovação, sou mãe (dois lindos meninos), mulher, esposa e adoro cozinhar.

Crédito de Imagem: pixabay.com


5.00

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *